Euromilhões: continuidade ameaçada

Loterias
Euromilhões: continuidade desestabilizada

Euromilhões: continuidade ameaçada

Depois que o estado de alerta foi declarado e medidas foram tomadas para impedir a propagação do coronavírus, Loterías e Apuestas del Estado cancelaram a venda de todos os seus jogos em 15 de março. No entanto, o popular jogo de loteria Euromilhões teve mais dois empates até 20 de março. Desde então, o Euromilhões passa pela maior crise de sua história, que põe em dúvida sua continuidade.

Dois dos países europeus mais afetados pelo coronavírus são Espanha e Itália. Lá, as apostas foram fechadas no Euromilhões, enquanto, no resto dos países, continuam jogando online. Isso significou um duro golpe no jogo. A compra de bilhetes na Espanha representa 20% do total e o mercado italiano também costuma contribuir significativamente. 

Por sua vez, o fato de ter fechado fisicamente as instalações de apostas fez com que a participação caísse drasticamente: menos de 10 milhões de bilhetes vendidos por sorteio, quando a média anterior variou entre 18 e 20 milhões para apostas de baixa e baixa, segundo os dados de Tirage Gagnant.

O resto da Europa

Na França, a participação caiu 40% e no Reino Unido, a queda atingiu 34%. Isso adicionado às medidas mais restritivas de confinamento em países como Suíça, Irlanda ou Luxemburgo, colocou os Euromilhões em uma profunda crise.

Diante dessa situação extrema, os operadores de loteria dos países europeus que continuam a permitir jogos de azar concordaram em estabelecer um prazo para a venda antecipada de bilhetes do EuroMilhões: 14 de abril. Então eles terão que avaliar e determinar a maldade de continuar com este sorteio. 

"Manteremos os apostadores informados sobre quaisquer alterações no EuroMilhões, se a situação exigir. O sorteio continua normal por enquanto e monitoramos a situação diariamente”, disse Nigel Railton, CEO da Camelot (Reino Unido).

Fonte: Focus Gaming News 

Relacionadas