Arrecadação de loterias pode passar dos R$ 18 bi

Loterias
Arrecadação de loterias pode passar dos R$ 18 bi

Arrecadação de loterias pode passar dos R$ 18 bi

A Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (Secap) do Ministério da Economia anunciou na última quarta-feira (4) uma previsão de mais de R$ 18 bilhões em arrecadação nas loterias federais esse ano.

O resultado foi divulgado no boletim “Panorama do Mercado Brasileiro de Loterias” e ultrapassaria o valor registrado em 2020 de R$ 17,1 bilhões. Estes valores indicam um crescimeno constante desde 2017, além de representarem um aumento de 14% nos repasses para o financiamento de políticas públicas em 2021.

De acordo com a Secretaria, "ao se fazer a comparação entre a arrecadação nominal do período de janeiro a setembro de 2021, registrou-se um crescimento de 8,3% em relação ao mesmo período de 2020 e de 28,6% em relação a 2017." 

O subsecretário de Prêmios e Sorteios do Ministério da Economia, Waldir Marques, diz que "os números indicam a solidez do mercado nacional de loterias apesar das dificuldades enfrentadas decorrentes da pandemia de Covid-19."

Ainda segundo o boletim, os principais produtos lotéricos do país hoje são a LotoFácil (36,7%), Mega-Sena (30,7%) e Quina (19,9%). A Lotofácil, porém, ultrapassou a Mega-Sena como a mais vendida no Brasil. Esta mudança se deveria ao fato de a Lotofácil ter passado a ser diária a partir de agosto de 2020 e ao pouco acúmulo dos concursos regulares da Mega-Sena nos últimos meses.

A Lotofácil e a Quina cresceram 25% e 14%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano passado. A Mega-Sena, por sua vez, recuou 10%.

O aumento de 14% nos repasses sociais feitos através do Tesouro Nacional para financiar políticas públicas representam R$ 4,64 bilhões. Nesse período, os principais repasses sociais foram as parcelas destinadas à seguridade social (46,8%), ao Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) (25,2%) e à educação com 10,6%.

Por conta da receita gerada por um prêmio da Mega da Virada de 2020 que não foi resgatado, a educação registrou ainda um aumento de recursos de 110%.

Relacionadas