BgC: relação entre operadores e reguladores

Legislação
Relação entre operadores e reguladores

BgC: relação entre operadores e reguladores

Coube ao advogado português Óscar Madureira, do escritório Rato Ling Lei & Cortés, mediar um painel a respeito de reguladores dos jogos na tarde desta terça-feira (25), no Brazilian Gaming Congress, em São Paulo.

Sissel Weitzhandler, diretora de compliance da Play’n GO, Alberto Alfieri, COO da Bet Entertainment, Georges Didier, responsável pela área de relações governamentais e desenvolvimento de negócios da GLI, e Russel Mifsud, diretor associado da KPMG, participaram do debate.


Alfieri destacou a importância de empresas que atuam em diferentes países, cada um com a sua regulamentação peculiar, botarem a experiência adquirida no setor à disposição de quem está no processo de regulamentação dos jogos no Brasil.

A boa relação entre reguladores e operadores foi abordada por Georges Didier como ponto fundamental para o andamento da atividade.

Quem também citou esse aspecto foi Russel Mifsud.

- A regulamentação da atividade depende de uma boa confiabilidade entre todos os envolvidos - salientou o diretor da KPMG.

Alguns lugares foram mencionados no painel como exemplos bem sucedidos de regulamentação dos jogos.

Veja também:
Legislação em pauta no BgC
Mais BgC: sobre plataforma de apostas

De acordo com Sissel Weitzhandler, a Dinamarca é um país que soube trabalhar bem neste âmbito e sempre ouve operadores e reguladores, valorizando as novas ideias para tornar a atividade cada vez melhor.

Fotos: Joga Brasil

Relacionadas