Pedro Trengrouse falará durante o Summit IAGA

Entrevistas
IAGA

Pedro Trengrouse falará durante o Summit IAGA

A equipe Joga Brasil conversou com exclusividade com Pedro Trengrouse. Advogado especialista em legislação esportiva e vice-presidente da Comissão Especial de Direito dos Jogos da OAB, ele será o único brasileiro a falar durante o Summit anual organizado pela IAGA (Associação Internacional de Advisors da Indústria de Jogos). 

A IAGA realizará a 38ª edição do encontro International Gaming Summit entre os dias 4 e 6 de junho no The Ritz Carlton Half Moon Bay, no norte da Califórnia. O Summit oferece uma oportunidade incomparável de conhecer e discutir as principais questões enfrentadas pelos jogos atualmente. Saiba mais sobre o evento aqui

1-        Qual a importância de ser chamado pelo International Gaming Summit para expor seus conhecimentos?

O Summit acontece anualmente desde 1979 e é a primeira vez que convidam um brasileiro para palestrar. É o reconhecimento do trabalho que venho desenvolvendo há mais de 13 anos, quando representei os clubes brasileiros na discussão da Timemania com o Governo Federal e comecei a estudar temas relacionados ao jogo. É também uma enorme responsabilidade falar sobre as perspectivas do jogo no Brasil para uma audiência tão qualificada. Os maiores stakeholders estarão lá. O International Gaming Summit da International Association of Gaming Advisors (IAGA) é um dos eventos mais importantes da indústria do jogo. Reúne os principais profissionais especializados em jogo do mundo, incluindo advogados, consultores financeiros, executivos de cassinos e empresas de jogo, reguladores e acadêmicos. Para se ter idéia da importância da IAGA basta mencionar que o atual Presidente é o Vice-Presidente Executivo e General Counsel da MGM Resorts International, o Secretário é Vice-Presidente da IGT e a Tesoureira é Vice-Presidente Executiva e General Counsel do Wynn Resorts.

2-        Você considera esse convite à um brasileiro como um movimento positivo? 

​Muito positivo. É um sinal que estão levando a sério a possibilidade de regulamentação do jogo no Brasil. Tão a sério que colocaram o painel que participo no primeiro dia, logo após a abertura do evento, que será feita por Eric H. Holder, Jr., 82° Procurador Geral dos Estados Unidos, um dos três que serviu por mais tempo na história do país e também teve varias posições no Senado durante os mandatos de Obama, Clinton e Reagan.

3-        Do que tratará o seu painel?

​O painel faz um diagnóstico de mercados emergentes como, por exemplo, Japão, Filipinas, Vietnã, Camboja, Índia e Brasil, explicando o status quo e identificando tendências, regulatórias e mercadológicas.

4-        Você acredita que algumas empresas de fora já estão monitorando a situação dos jogos no Brasil? 

​As maiores empresas do mundo já estão monitorando e até mesmo trabalhando no Brasil. A​ ​Intralot, empresa grega presente em mais de 52 países, com aproximadamente 5.100 colaboradores e faturamento global anual superior a €1 bilhão já está operando no Brasil desde 2008, responsável pela Loteria do Estado de Minas Gerais em operação com Keno Minas, Multplix, Minas 5, Totolot, Totogol e Speed Race, disponíveis em mais de 3.000 terminais lotéricos localizados em diversos pontos de venda. A International Gaming Technology (IGT), multinacional listada na NYSE, com operações em mais de 100 países e receita anual em torno de USD 5 bilhões, está presente há anos no Brasil, foi sócia do Grupo Bandeirantes e está desenhando uma proposta para o leilão da Lotex em conjunto com a Scientific Games (SGi) empresa listada na NASDAQ, pioneira na operação de loterias instantâneas, presente em 6 continentes, com receita anual superior a USD 3 bilhões e patrimônio total aproximado de USD 8 bilhões. Além disso, as maiores empresas de bingo do mundo pertencem a brasileiros e os principais grupos de cassinos tem participado da discussão sobre a regulamentação do jogo no Brasil, com destaque para Las Vegas Sands, Hard Rock, MGM, Caesars, Estoril Sol etc.

5-        O que faz com que o Brasil seja um destino interessante para o segmento?

​O Brasil é uma das 10 maiores economias do mundo, com mais de 200 milhões de habitantes e um mercado de jogo mal regulado que já tem movimento anual superior a R$ 50 bilhões. O potencial de crescimento é enorme. Só para ilustrar, o país ocupa a 96 posição no ranking global de apostas lotéricas per capita. A regulamentação inteligente do mercado oferece oportunidades para investimentos em praticamente todas as modalidades de jogo, com externalidades em diversas outras indústrias, com destaque para o Turismo, que pode se beneficiar muito com a construção de cassinos-resorts, a exemplo do que ocorreu em Singapura e Macau.

Foto: Divulgação

Relacionadas