Min. do Turismo quer liberação dos cassinos

Cassino
Min. do Turismo quer liberação dos cassinos

Min. do Turismo quer liberação dos cassinos

Assim como o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o novo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (foto acima), também endossou o coro pela legalização dos cassinos no Brasil. Em entrevista ao jornal “O Tempo”, o ministro afirmou que a liberação da atividade será um ótimo fator para o país atrair novos investimentos.

- Eu sou a favor de medidas que deem ao Brasil condições de crescer. Essa é uma delas. Considerando a capacidade da atividade para atrair investimento estrangeiro e seu potencial de ampliação do fluxo de turistas nacionais e internacionais para destinos domésticos – ressaltou Álvaro Antônio ao periódico de Minas Gerais.

Deputado federal por Minas de 2015 até o dia 1o de janeiro deste ano, o ministro também citou o fato de que quase todos os 20 países mais ricos do mundo têm a atividade dos jogos legalizada. Além disso, Álvaro Antônio destacou que muitos brasileiros frequentam cassinos mundo afora para salientar que a liberação dos casas de jogos vai movimentar a economia do país.

- No Conrad Punta del Este Resort & Casino, por exemplo, brasileiros representam 70% do público total do empreendimento, e o cassino é responsável por 70% do faturamento do resort. Além disso, grandes destinos como Las Vegas, por exemplo, recebem anualmente 6,8 milhões de estrangeiros, o equivalente ao número total de visitantes internacionais que o Brasil recebe por ano. Precisamos trazer esse viajante e essa movimentação financeira de volta para cá – completou o ministro, que também enfatizou a importância de uma regulamentação rígida para evitar problemas no segmento e dar credibilidade à atividade.

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Relacionadas

Apreensão de slots ilegais na Colômbia
Cassino

Apreensão de slots ilegais na Colômbia

Slots ilegais na Colômbia continuam sob a mira de Coljuegos. A polícia realizou uma operação de controle em estabelecimentos em Cartagena e apreendeu 53 máquinas caça-níqueis ilegais na Colômbia.