Macau pretende apertar controle sobre os cassinos

Cassino
Skyline de Macau, arranha céus

Macau pretende apertar controle sobre os cassinos

Após as autoridades de Macau lançarem uma revisão regulatória que ameaça apertar o controle do governo sobre a "Las Vegas da Ásia", vários dos magnatas dos cassinos mais ricos da região viram suas fortunas despencarem. 

O governo de Macau informou na terça-feira (14) que está tentando reavaliar as leis que regulam o maior centro de jogos de azar do mundo. A consulta pública inclui questões como o número e a duração das licenças para operadores de cassino, além da introdução de representantes do governo para supervisionar as operações de jogo.

Um dos magnatas a ser atingido pela notícia foi Lui Che Woo e sua família, donos da Galaxy Entertainment Group. As ações da empresa despencaram 18% depois que o anúncio foi feito, eliminando US$ 2 bilhões da fortuna da família Lui. O clã agora vale US$ 11,5 bilhões, de acordo com a Real-Time Billionaires List.

Não foi apenas Lui Che Woo que teve grandes perdas. Lawrence Ho e Pansy Ho também viram sua riqueza reduzir. O patrimônio líquido de Lawrence caiu US$ 230 milhões para US$ 1,4 bilhão depois que as ações de sua Melco International Development, listada em Hong Kong, caíram 17% desde terça-feira.

As ações da empresa de Pansy foram as que mais caíran. A MGM China Holdings teve uma queda de 28,3% nas ações nos três dias após o anúncio. As perdas representaram US$ 280 milhões e seu patrimônio líquido agora é de US$ 3,4 bilhões.

As autoridades de Macau disseram que o objetivo da revisão regulatória é reforçar a supervisão das concessionárias, facilitar o desenvolvimento do setor do jogo e aumentar a sua competitividade. 

Elas destacaram que o desenvolvimento robusto do setor de jogos de azar levou a um crescimento econômico desigual e a outras questões como a inflação e o aumento dos preços dos imóveis. O governo também disse que deseja que os operadores de cassinos diversifiquem para mais ofertas não relacionadas a jogos.

Além da tensão proveniente das possíveis novas medidas regulatórias, o anúncio vem menos de um ano antes do termo das concessões de 20 anos concedidas aos operadores de cassino de Macau. MGM China, SJM Holdings, Sands China, Wynn Macau, Galaxy Entertainment e Melco Resorts terão que renegociar suas licenças, que expiram em junho do ano que vem.

Conforme o prazo de renovação da licença se aproxima, as novas regulamentações já eram esperadas, mas, segundo a analista de jogos da Bloomberg Intelligence Angela Hanlee, a surpresa para muitos foi o grande número de questões que o governo deseja cobrir.  “O possível aperto na supervisão, como a introdução de representantes do governo, pode aumentar as despesas operacionais dos operadores de cassino”, escreveu ela em uma nota.

No entanto, Hanlee não prevê interrupções significativas na indústria mais importante de Macau. “Uma vez que o governo está procurando um tamanho de mercado de jogo estável e receita tributária de cassinos, achamos que todos os operadores de cassino vão poder continuar operando”. 

Macau aumentou recentemente a supervisão dos seus casinos para reforçar os seus controles da capital. Em junho, o enclave chinês dobrou o número de inspetores encarregados de monitorar os cassinos. O anúncio recente é um golpe para o centro de jogos de azar em um momento em que sua economia movida a cassinos já estava sofrendo uma desaceleração decorrente de restrições de viagens provocada pela pandemia.

Fonte: Forbes

Relacionadas