FIFA preocupada com o crescimento do mercado de apostas

Apostas Esportivas
FIFA preocupada com o crescimento do mercado de apostas

FIFA preocupada com o crescimento do mercado de apostas

O Brasil está sediando pela primeira vez na história a Copa do Mundo Sub-17, evento que começou no último fim de semana nas cidades de Brasília (DF), Cariacica (ES) e Goiânia (GO).

E o tema apostas esportivas está no radar da FIFA. Poucos dias antes do início da competição, a entidade máxima do futebol promoveu palestras com integrantes das federações que estão participando do Mundial.

O objetivo é prevenir casos de manipulação no futebol.

- É fundamental que tomemos uma postura proativa e insistamos em um diálogo aberto sobre a importância primordial da integridade. Jogadores menores de 17 anos estão começando suas carreiras e, portanto, é absolutamente crucial que forneçamos a eles as ferramentas necessárias para proteger a integridade do jogo - afirmou Oliver Jaberg, um dos diretores da FIFA.

A entidade demonstra cuidado em relação ao boom do mercado de apostas esportivas, que se expande cada vez mais.

A atividade, que já é uma realidade na Europa há alguns anos, cresce também em outros continentes, como a América do Sul.

Por isso, há todo um mecanismo de precaução para evitar que atletas, dirigentes e qualquer profissional que esteja no futebol se envolva com apostas esportivas.

Preservar a lisura da modalidade é fundamental.



Existe um aplicativo da própria FIFA criado com o intuito de possibilitar denúncias anônimas de casos relacionados à manipulação de resultados ou a algum tipo de corrupção no meio futebol. É o FIFA Integrity App.

- É uma iniciativa maravilhosa da FIFA ser proativa sobre um problema que afeta o nosso jogo, e para os meninos poderem aprender sobre isso é crucial. Estar ciente de como isso pode afetá-los é muito importante - destacou o técnico Andrew Olivieri, que dirige a seleção do Canadá, derrotada por 4 a 1 para o Brasil na estreia do Mundial.

A Copa do Mundo Sub-17 é uma competição realizada de dois em dois anos pela FIFA. São garotos de até 17 anos na disputa. Alguns, apesar da pouca idade, já fazem parte dos elencos principais de seus clubes.

O Brasil venceu o torneio três vezes: 1997, 1999 e 2003.

Foto: Getty Images



Relacionadas