A marca multimilionária Lionel Messi

Apostas Esportivas
A marca multimilionária Lionel Messi

A marca multimilionária Lionel Messi

Após mais de duas décadas no Barcelona, Messi não renovou contrato. Enquanto um discurso de despedida emocionado do jogador viralizava, os canais de comunicação e redes sociais especulavam sobre o destino do atleta. Iria para o Paris Saint-Germain, onde tem amigos como Neymar? Iria para um time da Inglaterra? Manchester City, talvez? Ir para outro time espanhol não figurava entre as apostas mais altas.

No Instagram, com uma bandeira argentina entre as camisas de Neymar e Mbappe, ganhou quem apostou que Messi iria para o clube francês. Há um silêncio sobre os valores de contrato, com veículos europeus dizendo que estaria na casa dos 35 milhões de euros (cerca de R$ 214 milhões). 

Há muito tempo jogadores do porte de Messi e Neymar deixaram de ser ativos isolados de um time. São antes disso uma marca. São ingressos para um espetáculo. Marcas que geram dividendos astronômicos ou quando mal administradas prejuízos sem precedentes.

Os números gerados por Messi vêm de todos os lados. Seis vezes vencedor da Bola de Ouro como jogador do ano, aos 34 anos Messi vai levar ao PSG receitas que deixarão as pessoas "chocadas". Palavras do presidente do clube, Nasser al-Khelaifi.

De acordo com a Reuters, na principal loja do PSG no centro de Paris, um torcedor ficou duas horas na fila para comprar uma camisa de Messi assim que o argentino assinou com o clube. Saiu de lá feliz da vida depois de desembolsar 165 euros (cerca de R$ 1.015) pela camisa com o nome do novo contratado. 

Messi é uma marca que vende camisas, produtos esportivos, atrai anunciantes, direitos de transmissão. Quem ganhou na loteria nesse sentido foi a Amazon. Em junho, a empresa adquiriu os direitos de transmissão de 80% dos jogos da divisão francesa por uma fração do preço original, após a retirada do parceiro Mediapro.

Segundo o especialista em marketing esportivo Vincent Chaudel à Reuters, "a Amazon já conseguiu seu presente de Natal antecipado em junho e agora acaba de ganhar na loteria. Transmitindo tantos jogos por tão pouco dinheiro, com Messi em cena agora... é tudo uma grande vitória".

Nas redes sociais, grandes medidores de popularidade, alcance e, por consequência, de receitas, os números começaram a se movimentar abruptamente tão logo começaram os rumores de uma possível ida do jogador para o PSG.

O rastreador de atividades Talkwalker levantou que, de sexta (6) à noite a terça (10) à noite, o PSG ganhou 3 milhões de seguidores, incluindo 2,1 milhões no Instagram e 611.000 mil no Facebook. Uma estimativa da Front Office Sports mostrou um aumento de 4,5 milhões apenas no Instagram nas últimas 24 horas. Números divulgados pela Reuters.

É o equivalente a uma mudança de placas tectônicas no showbusiness esportivo. As avaliações da BrandFinance dão conta de que com a saída de Messi do Barcelona o valor da marca pode diminuir 11%. Marca Barcelona, não Messi, que fique claro. Um jogador responsável por 11% de valor de uma marca. Esse é um bom indicador para ilustrar o tamanho de Messi.

Se por um lado o Barcelona pode perder mais de um décimo de seu valor, os cofres do PSG vão passar por uma fase de engorda. Chaudel, co-fundador do instituto de estudos esportivos Observatoire du Sport-Business, estimou que a chegada de Messi poderia aumentar o valor do clube em 10-20%. Em abril, a Forbes avaliou o clube em US$ 2,5 bilhões.

Relacionadas